A Nova Zelândia é um país pequeno da Oceania, tem aproximadamente 270 mil km² e o país é dividido entre duas grandes ilhas – Norte e Sul – e diversas ilhas menores. O país é “alto”, sendo que na Ilha Sul, também mais montanhosa, tem alguns picos com 3 mil metro de altura e quase 150 picos com mais de 2 mil metros.

Uma opção para quem vai tirar férias mais longas é organizar um roteiro para conhecer várias cidades em uma viagem só. O RoadTrio percorreu o país de norte a sul e rodou aproximadamente 3.500 quilômetros nas estradas da Nova Zelândia. Essa foi uma das decisões mais certeiras que tivemos.


LEIA MAIS

Saiba tudo sobre as praias de Curaçao
16 coisas que você não sabia sobre a viagem de avião
Desvendando o incrível Deserto do Atacama
Os cinco pubs essenciais de Dublin, na Irlanda


As estradas do país, no geral, são muito boas, seguras e asfaltadas. Mas a maioria também é uma mão que vai e outra que vem, sem acostamento o que necessita atenção redobrada. Até porque a direção por lá é mão inglesa, ou seja, dirige-se do lado direito do carro.

 

Nova Zelândia // Pausa no nosso roteiro para mostrar nosso maior companheiro desta viagem: nosso carro da @hitch_nz. Ele está nos levando do norte ao sul do país (de Auckland a Milford Sound) e vai rodar mais de 3 mil km durante 14 dias de viagem. Vale lembrar que em roadtrips longas como essa, é indispensável alugar um carro com seguro completo e analisar as condições de retirada em um ponto e devolução em outro. Além disso, para maior segurança e tranquilidade, faça sempre um seguro viagem. Nós fizemos um com a @chancetourviagens, que tem um preço bem acessível e ampla cobertura! A tranquilidade de saber que você está seguro em todos os aspectos faz com que você curta muito mais sua viagem

Uma publicação compartilhada por RoadTrio (@roadtrio) em

A velocidade máxima permitida é de 100 km por hora em estradas e 50 km por hora dentro de áreas urbanas. Lembre-se de seguir a risca as placas de velocidade colocadas nas curvas das estradas. Apesar de praticamente não ter radar, o país leva a séria a questão da velocidade e do uso de cinto de segurança. Por isso, cuidado para não ser multado por um dos policiais que ficam rodando estradas e centros urbanos e estão 100% dedicados a controlar isso.

A média de velocidade em uma viagem sem imprevistos é de aproximadamente 80 km/h. Todas as estradas e cidades, por menores que sejam, são muito bem sinalizadas e o motorista não fica na mão.

| Aluguel de carro

Alugamos um Mahindra a diesel com a Hitch Rental Cars, uma empresa da Nova Zelândia, moderna e que tem foco em aluguel de carros para diversão e experiências marcantes, como a nossa. Como eles mesmos dizem, a Hitch é uma empresa com tradição, mas antenada nos dias de hoje (an old head on young shoulders). Mesmo que você esteja em duas pessoas, como nós estávamos, escolher um carro grande pode ser literalmente uma mão na roda.

Taupo (Foto: RoadTrio)

Taupo (Foto: RoadTrio)

O carro é espaçoso, suporta até 7 pessoas e foi a escolha perfeita. O espaço interno foi suficiente para que a gente não tivesse que se preocupar em deixar as 4 malas (duas de 23 kg e duas de mãos) enxutas todos os dias em que mudamos de cidade.

Na Hitch você pode encontrar carros pequenos (para 4 pessoas) e mais econômicos e desembolsar NZ$ 17 por dia, com quilometragem ilimitada. Um SUV na linha do nosso custa NZ$ 47,99 por dia, também com quilometragem ilimitada.

Veja abaixo 7 motivos para você cruzar a Nova Zelândia de carro.

| Você pode caprichar no roteiro

Se você quer cruzar o país de norte a sul, compre sua passagem para Auckland (no norte), ou para Queenstown (no sul). Nós recomendamos que você comece o roteiro pelo norte porque a cada quilômetro que você desce, a viagem fica mais surpreendente.

Hamilton (Foto: RoadTrio)

Hamilton (Foto: RoadTrio)

Com as passagens em mãos, pesquise, veja fotos e pontue tudo que você tem vontade de conhecer por lá. Anote quais destinos ficam perto entre si e comece a bolar um roteiro de acordo com o que você quer ver.

Se muitas cidades apareceram na sua lista, não se importe em dedicar apenas um dia para cada, isso também pode ser surpreendente, apesar de cansativo. Recomendamos que você leve mais de 5 horas dirigindo entre um destino e outro, pois você está lá para aproveitar o passeio, certo?

Nosso roteiro foi: Auckland, Hamilton/Rotorua, Taupo, Wellington, Picton/Nelson, Christchurch, Franz Josef/Fox Glacier, Queenstown.

| Você vai economizar

Provavelmente nem tudo que você quer conhecer pelo país é perto, ou no centro da cidade. Fechar um tour pode sair bem caro, levando em consideração que os principais atrativos da Nova Zelândia não são baratos. Mas se você tem seu próprio carro, pode ir ao destino sozinho.

Tongariro (Foto: RoadTrio)

Tongariro (Foto: RoadTrio)

Além disso, a Nova Zelândia não tem pedágio (nós não pegamos nenhum durante nossa viagem). O combustível também não é dos mais baratos (de NZ$ 1,00 a NZ$ 1,50), mas um carro a diesel pode ser uma boa opção para quem quer economizar nesse aspecto, principalmente nas estradas mais retas (Ilha Norte do país). Nós tivemos que colocar combustível apenas 5 vezes durante toda nossa viagem, contando a última para devolver o carro com o tanque cheio.

| Você vai ver paisagens incríveis

A estrada em si faz a viagem ser ainda mais incrível. Cada curva vai te surpreender. A natureza da Nova Zelândia é de tirar o fôlego e você provavelmente vai ver todas as estações do ano em um mesmo dia (ok, no inverno você provavelmente não vai passar calor). Sol, chuva, arco-íris, frio, vento ou calmaria… Isso tudo consequentemente transforma o visual.

(Foto: RoadTrio)

(Foto: RoadTrio)

Sem contar os montes nevados e as planícies verdinhas e habitadas por vacas e ovelhas (a Nova Zelândia tem um dos maiores rebanhos de rebanhos de ovelhas do mundo).

Não é por acaso que todas as estradas têm o famoso ponto de parada “Scenic Lookout’ para parar o carro em um mirante e admirar a paisagem.

| Você pode sair do roteiro

Seu roteiro pode até estar fechado depois de suas longas pesquisas. Mas se você decidir ficar um dia a mais em uma cidade ou pular alguma outra, a escolha é sua!

(Foto: RoadTrio)

(Foto: RoadTrio)

Se você achar que alguma atração ou cidade não precisa de tanto tempo, ou precisa de mais tempo, você consegue se reorganizar.

| Você tem mais liberdade de horários

A trilha é longa e você quer ir cedo. Tudo bem. Ou o dia anterior foi cansativo e você quer dormir até mais tarde. Tudo bem também. Não tem nenhum ônibus te esperando na porta do seu hotel.

Se a estrada é mais bonita, você pode parar para tirar fotos quantas vezes quiser. Se a estrada pede mais cautela, você pode ir na velocidade que te dá mais segurança. Ou seja, flexibilidade e liberdade total para o seu roteiro!

| Tudo bem se você não tiver hotel

É muito comum encontrar trailers e motorhomes em qualquer estrada e cidade. Por isso, há muitos lugares específicos para quem quer estacionar e passar a noite por lá, seja dentro de Parques Nacionais (sem custo), ou em campings (preços bem convidativos).

(Foto: RoadTrio)

(Foto: RoadTrio)

Se você quiser arriscar alguma noite dormindo no seu carro, não tem problema nenhum. Mas vale lembrar que você só pode dormir em locais permitidos. Além do mais, você vai ter o privilégio de dormir em lugares rodeados por muita natureza. Foca no céu estrelado!

| Não é tão difícil quando você pensa

Ok, a mão é inglesa e isso pode assustar. Mas todos os carros são automáticos, o que já ‘elimina’ uma preocupação a mais na hora de dirigir. Então, o primeiro passo é lembrar que o motorista sempre estará perto da linha que divide as duas pistas (quem vem e quem vai) e que você sempre vai virar para a direita ou para esquerda na mão oposta que você está acostumado. Acredite, você não vai demorar muito para se acostumar. Ficou confuso? Pare, pense, lembre-se da regra e siga viagem. Os centros urbanos têm muitas rotatórias e isso ajuda muito.

A maioria das estradas da Nova Zelândia é uma mão que vem e outra que vai, mas muitas tem a Left lane em alguns pedaços para que as ultrapassagens sejam feitas sem risco algum. Isso significa que existe um acostamento especial para ultrapassagens.

(Foto: RoadTrio)

Algumas dicas extras também podem te ajudar a ter uma viagem mais segura. Veja abaixo.

GPS
Escolha um carro com GPS, mas tenha em mãos uma segunda opção. O GPS do carro funcionou 90% das vezes e nos outros 10% tivemos que recorrer aos aplicativos de celular. O waze não é tão atualizado na Nova Zelândia e, por isso, a melhor opção foi o Google Maps.

Seguro
Acidentes acontecem a qualquer hora e local. Fazer um seguro completo é fundamental e indispensável para quem vai passar tanto tempo dentro do carro.

Cuidado com os animais
Esta foi uma triste notícia para nós. Durante todas as estradas que percorremos, encontramos dezenas de pequenos animais mortos. Por isso, fique atento na velocidade para não levar um susto ao encontrar com algum animal no caminho e causar um acidente.

Tongariro (Foto: RoadTrio)

Tongariro (Foto: RoadTrio)

Precisa de internet?
Vá para um fast food. Como falamos, o GPS nos deixou na mão algumas vezes. Nossa melhor saída era entrar em algum restaurante nas cidades que passávamos. Acredite, quase todas elas, por menores que fossem, têm um MC Donald’s na rua principal.

De qualquer forma nós aconselhemos comprar um chip de internet para o celular se você tiver um dinheirinho sobrando. Viagens assim pedem esse cuidado especial.

Distância entre postos de gasolina
Fique sempre atento ao nível de combustível do seu carro. Muitas estradas que ligam destinos distantes não têm postos de combustível. Sempre saia para o próximo destino com o tanque cheio.

Playlist
Como você vai passar por estradas longas, a melhor opção para ouvir músicas é levar seu próprio pendrive ou uma lista completa no Spotfy (com cabo). A qualidade das rádios variam muito de cidade para cidade, algumas vezes é impossível encontrar uma boa frequência e algumas rádios não tocam musicas frequentemente.

(Foto: RoadTrio)

(Foto: RoadTrio)

Serviço

Hitch Rendal Car
Telefone: 0800-93-95-03 (+064 9 256 0546)
E-mail: hello@hitchcarrentals.co.nz
Endereço de retirada e devolução: https://www.hitchcarrentals.co.nz/contact-us
Site: https://www.hitchcarrentals.co.nz

Sobre o autor

Formada em jornalismo, já passou algumas temporadas na Califórnia e em Barcelona. Os anos de cobertura de Semanas de Moda passaram e fizeram com que ela descobrisse que o seu verdadeiro estilo é viajar.

7 Respostas

  1. Adriana Mendonca

    Nem precisava ler o post pra me convencer a fazer uma road trip pela Nova Zelândia. Agora a vontade é de começar amanhã!! Deve ser maravilhoso mesmo rodar o país desse jeito!

    Responder
  2. Dhebora

    Um dos meus sonhos de consumo de viagem é uma roadtrip de motorhome pela NZ! Sou apaixonada pelas paisagens desse país… mas confesso que a mão inglesa me deixa um pouco tensa rs

    Responder
    • RoadTrio

      A gente também estava com esse medo da mão inglesa. Mas foi MUITO mais fácil do que pensávamos! Cheguei no Brasil e quase fiz besteira hehe. Mas deu tudo certo e valeu muito! Aconselhamos!

      Responder
  3. Susana | Falar de Viagens

    Eu sou super a favor de alugar carros onde quer que vá (se nao for de carro, claro ahahah)! Acho que te dá uma liberdade incrível e podes fazer os horários que quiseres. Aconselho 100%

    Responder

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.