Bem que falaram que Queenstown, na Nova Zelândia, é a capital do esporte radical. E foi por isso mesmo que a cidade se tornou nossa favorita durante a viagem de carro que fizemos pelo país.

Nós saímos de Fox Glacier, passamos por Wanaka e depois de cerca de 4 horas e 30 minutos de estrada, fomos direto para o escritório da AJ Hackett Bungy, no centro de Queenstown. Fizemos nosso check-in, recebemos as primeiras instruções e esperamos cerca de 30 minutos pelo ônibus que nos levaria para a mais esperada atração da cidade: o bungee jump.

Ponto de encontro onde é feio o check-in para o bungee (Foto: RoadTrio)

Ponto de encontro onde é feito o check-in para o bungee (Foto: RoadTrio)

Vale destacar que a Nova Zelândia é referência mundial no esporte radical e responsável por produzir quase todas as cordas elásticas de bungees do planeta. Talvez seja porque a prática foi criada pelo neozelandês A. J. Hackett em 1988.


LEIA TAMBÉM
Ilha norte da NZ: de Auckland até Wellington
Ilha Sul da NZ: de Picton até Milford Sound
7 motivos para alugar um carro na Nova Zelândia
Tudo sobre o cruzeiro por Milford Sound, na NZ


Já adianto que essa foi a experiência mais louca e inesquecível que fizemos por lá. Sim, nós saltamos de paraquedas também, em Taupo, mas a sensação de se jogar no meio do nada, de uma plataforma montada no meio de alguns vales, é indescritível.

Pode-se dizer que essa é uma experiência em que a ação, diferentemente do paraquedas, depende 100% de você. Não tem ninguém preso a você responsável pela experiência e nenhum instrutor vai “te empurrar”. Você é 100% responsável pela própria experiência a partir do momento em que você é liberado para pular, ou seja, basta saltar!

| The Nevis Bungy

Com 134 metros de altura, o Nevis Bungy é o mais alto da Nova Zelândia e o mais radical. Não tinha como escolhermos outro, certo? Se quem está na chuva é pra se molhar, lá fomos nós.

Ele fica no meio de um belo vale e, para chegar lá, todos os turistas são levados por um ônibus da própria empresa. O local, um pouco inacessível, deixa a experiência ainda mais incrível. Por isso, é recomendável fazer o agendamento do salto com antecedência, já que o ônibus sai diariamente nos mesmos horários: 9h20,10h, 11h20, 12h, 12h40, 13h20, 14h e 14h40.

Chegada no vale onde acontecem os saltos (Foto: RoadTrio)

Chegada no vale onde acontecem os saltos (Foto: RoadTrio)

No ônibus, um grupo de aproximadamente 10 pessoas que agendaram a experiência para o mesmo período é levado para o “ponto crucial”, onde o salto acontece. São cerca de 50 minutos intensos que parecem durar 50 horas.

Não dá para negar, é 100% visível a apreensão das pessoas, ansiosas (e nervosas, na maioria) para o momento daquela experiência única. Chegando lá, recebemos as instruções básicas para o bungee enquanto assistíamos aos saltos que antecediam aos nossos.

Vale onde acontece o salto de bungee jump (Foto: RoadTrio)

Vale onde acontece o salto de bungee jump (Foto: RoadTrio)

Entre as instruções está o posicionamento dos pés na plataforma e o que fazer depois que a queda terminar. Na prática, a corda estica e volta 3 vezes e, na terceira vez, você poderá soltar seus pés para retornar à plataforma na posição vertical e com os pés para baixo. Bom, no meu caso, não consegui… voltei de ponta cabeça mesmo e foi maravilhoso!

Depois desse procedimento, fomos divididos em pequenos grupos para finalmente pegar o curto teleférico que nos leva para a plataforma, que nada mais é que uma cabine suspensa no meio dos vales. Não dá pra negar: o frio na barriga era forte!

Chegando lá, fomos organizados por peso, do mais pesado ao mais leve, em que o mais pesado é o primeiro a saltar.

Teleférico que leva para a plataforma suspensa (Foto: RoadTrio)

Teleférico que leva para a plataforma suspensa (Foto: RoadTrio)

Eu estava bem ansiosa e, para piorar, era a última da lista. Enquanto os outros saltavam, eu só observava as mais diferentes reações, gritos e medos. A plataforma tem piso de vidro e é possível ver todo mundo em queda livre. Já é alucinante, pode acreditar.

Tem aqueles que saltam de pé, os que seguram na mão do instrutor e quase desistem, os que precisam de um empurrãozinho extra e aqueles que literalmente se jogam de cabeça para baixo, sorriem e se divertem. Inacreditavelmente esta última fui eu!

Dar os passinhos até ficar no limite da plataforma não é uma tarefa fácil. O coração já estava quase saindo pela boca enquanto os profissionais me equipavam e checavam todos os itens de segurança. Não demorou muito até eu escutar: Are you ready? “Yes!”… Alguns poucos segundos e lá fui eu para os 8.5 segundos de queda livre e a sensação mais louca que já tive na vida. Bom, sem maiores explicações porque o vídeo resume essa adrenalina. Sem dúvidas, a coisa mais doida, aterrorizante e maravilhosa que já fiz.

Preparação na plataforma suspensa (Foto: RoadTrio)

Preparação na plataforma suspensa (Foto: RoadTrio)

Dá para reparar que eu grito e logo paro. Esses poucos segundos foram suficientes para pensar: “o que estou fazendo aqui?”, “Meu Deus, quero ir de novo”, “Será que a corda está bem presa?”, “Quero ir em todos os bungees do mundo”, “Por favor, demora para acabar porque isso aqui está bom demais!”.

E acabou. Hora de voltar para a plataforma, com sorrisão de orelha a orelha e aquela sensação única de liberdade, êxtase e adrenalina. Essa é uma experiência para fortes!

Salto de bungee em Queenstown (Foto: RoadTrio)

Salto de bungee em Queenstown (Foto: RoadTrio)

O Nevis Bungy custa NZ$ 275. Para saltar é preciso ter no mínimo 13 anos e pesar entre 45 kg e 127 kg. O passeio completo dura aproximadamente 4 horas.

Assista ao vídeo completo do salto de bungee:

| Nevis Swing

No mesmo lugar também fica o Nevis Swing, considerado o maior swing jump do mundo, totalizando 120 metros de comprimento e 160 metros acima do nível do rio. Nele, duas pessoas são posicionadas sentadas lado a lado em uma corda que se solta e chega até 120 km/h.

Há quem queira gastar alguns dólares a mais para ter uma dose extra de adrenalina e experimentar os dois “Nevis” no mesmo dia. Ficamos morrendo de vontade e extremamente arrependidos de não ter agendado essa segunda opção.

| A.J. Hackett Bungy

A AJ Hackett Bungy domina as experiências pelo país e só em Queenstown eles têm 3 diferentes tipos de bungee (Nevis e mais 2). Há um muito famoso em Auckland, o Auckland Bridge Bundy.

Salto de bungee em Queenstown (Foto: RoadTrio)

Salto de bungee em Queenstown (Foto: RoadTrio)

O Kawarau Bridge Bungy (NZ$ 205) é considerado o primeiro bungee jump comercial do mundo. Em Queenstown é o único onde se salta de uma ponte, com 43 metros de altura. O grande diferencial é que o passageiro chega a encostar na água do rio abaixo da ponte. Também há a opção de um salto duplo.

O Ledge Bungy (NZ$ 205) tem 47 metros de altura, mas dá uma sensação de ser muito mais alto, já que ele está localizado no alto de uma colina, que proporciona um visual épico de toda a cidade, o lago e suas montanhas. Para chegar lá, só de gôndola ou por uma trilha, não recomendada no inverno.

Salto de bungee em Queenstown (Foto: RoadTrio)

Salto de bungee em Queenstown (Foto: RoadTrio)

Serviço

The Nevis Bungy (A.J. Hackett Bungy)
Endereço:
 Shotover & Camp Streets, Queenstown 9300, Nova Zelândia
Telefone: 0800 286 4958 / +64 3 450 1300
E-mail: bungycentre@bungy.co.nz
Site: www.bungy.co.nz
Facebook: AJ Hackett Bungy Queenstown
Instagram: @ajhackettbungynz

Sobre o autor

Formada em jornalismo, já passou algumas temporadas na Califórnia e em Barcelona. Os anos de cobertura de Semanas de Moda internacionais passaram e fizeram com que ela descobrisse que o seu verdadeiro estilo é viajar.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.