Quem disse que é preciso ir para o Caribe para ver águas cristalinas? Ou até nadar com tartarugas? Pois é, sempre que planejamos uma viagem paradisíaca pensamos em destinos internacionais ou buscamos por praias no Nordeste do Brasil. Claro, cada local tem a sua particularidade, mas muitas vezes você tem um destino perfeito bem pertinho de você.


LEIA MAIS

Hostel da Vila é a escolha perfeita em Ilhabela
Fernando de Noronha: guia completo da ilha
Faça um mergulho nos parrachos de Maracajaú, RN
Ilha Grande: um cantinho especial no Rio de Janeiro


Nós, que moramos em São Paulo, temos muitas lindas praias próximas. E podemos aproveitar um fim de semana para desligar um pouco da correria do dia a dia sem ter que esperar as tão desejadas férias. Uma praia em particular ganhou o nosso coração recentemente. Uma praia não, uma região toda. Fomos convidados pelo Hostel da Vila para conhecer a maravilhosa Ilhabela, no litoral norte do estado de São Paulo.

A Praia Grande, no sul da ilha, fica cheia de turistas na alta temporada (Foto: RoadTrio)

A Praia Grande, no sul da ilha, fica cheia de turistas na alta temporada (Foto: RoadTrio)

Aliás, você sabia que Ilhabela é um dos únicos municípios-arquipélago marinho brasileiro? Ou seja, ela é formada não apenas por uma, mas por um conjunto de 14 ilhas e ilhotes. A maior das ilhas é a de São Sebastião, onde está localizada a sede administrativa do município, a cidade de Ilhabela.

Ela é a terceira maior ilha do Brasil, ficando atrás da Ilha de Santa Catarina (onde está situada a maior parte da cidade de Florianópolis) e a Ilha de São Francisco do Sul (também em SC). A Ilhabela possui 42 praias, sendo que 83% de seu território é coberto por Mata Atlântica preservada, e é considerada Patrimônio Natural e Reserva da Biosfera pela UNESCO. Além das praias com águas cristalinas, está repleta de cachoeiras, trilhas e pontos de mergulho.

Com tanta coisa para se fazer, com certeza um fim de semana é pouco tempo por lá. Por isso, em breve voltaremos para conhecer cada cantinho desse paraíso (atualizaremos o guia sempre que voltarmos).

Confira tudo sobre a Ilhabela, considera uma das ilhas mais belas do Brasil!

| Como chegar

Ilhabela fica próxima de cidades como Caraguatatuba e Ubatuba (no Litoral Norte de SP), e Paraty, Angra dos Reis e Ilha Grande (no Rio de Janeiro).

Saindo de São Paulo, são quase 210 km de distância (já do Rio de Janeiro são 400 km). A melhor forma de chegar até a ilha é por meio da Rodovia Tamoios (SP 99), que vai até Caraguatatuba e de lá seguir até São Sebastião pela Rodovia Rio-Santos (BR 101) e então pegar a balsa. Também é possível vir pela Rodovia Mogi-Bertioga (SP 98), mas essa estrada geralmente tem mais trânsito.

As ruas na ilha são estreitas e em alta temporada tem muito trânsito (Foto: RoadTrio)

As ruas na ilha são estreitas e em alta temporada tem muito trânsito (Foto: RoadTrio)

Para a balsa, paga-se R$ 18,50 (dias úteis) ou R$ 27,70 (sábados, domingos e feriados) – pagamento só na ida. A travessia de volta para o continente também é cobrada, mas o valor (R$ 7,50) é destinado à preservação ambiental da ilha. Para evitar filas na alta temporada e nos feriados, você pode agendar a travessia no site da Dersa, mas o preço sobe consideravelmente: R$ 63,50 (ida) e R$ 45,10 (volta) nos dias úteis e R$ 95,30 (ida) e R$ 67.60 (volta) em feriados e finais de semana.

Também é possível chegar de ônibus, da Viação Pássaro Marron. Os ônibus partem do Terminal Rodoviário do Tietê, mas não entram na ilha. Eles param bem próximo à balsa para que os passageiros possam fazer a travessia a pé (sem custo).

Se você não pegar trânsito na estrada e nem na balsa, você vai demorar um pouco mais de 4 horas para chegar até a Ilhabela saindo de São Paulo. É longe, mas vale a pena. 

| Onde ficar

A Ilhabela é cheia de hotéis, pousadas e hostels aconchegantes. A boa notícia é que tem opção para todos os gostos e bolsos. Caso você não tenha carro e não goste de andar muito, aconselhamos ficar no centro histórico, na famosa Vilinha. Quem escolher ficar mais na região sul, terá mais contato com a natureza.

O Hostel da Vila é uma ótima opção de hospedagem no centro (Foto: RoadTrio)

O Hostel da Vila é uma ótima opção de hospedagem no centro (Foto: RoadTrio)

Nessa viagem, ficamos no Hostel da Vila, um hostel que vem ganhando a posição de queridinho da ilha por conta de seu clima e infraestrutura. Ele foi inaugurado há quase um ano e meio pelo empresário e instrutor de mergulho Felipe Gamba. A hospedagem fica muito bem localizada, a alguns passos da Vila.

Veja aqui um post especial sobre o Hostel da Vila.

| Onde comer

Entre os mais famosos e procurados restaurantes da ilha está o Marakuthai, da chef Renata Vanzetto, único estrelado de Ilhabela e que está localizado entre as praias do Perequê e Santa Tereza.

Porém, o melhor local para se comer é no centro. A Vila, como é conhecida a região, é cheia de restaurantes de diversos preços. Como não é muito grande, caminhe entre os dois quarteirões e escolha aquilo que mais te agradar. Tem pizza, hambúrguer, massas, lanches, peixes, carnes… de tudo um pouco.

A região da vila, ou centro, tem ótimas opções de restaurantes e lojinhas (Foto: RoadTrio)

A região da vila, ou centro, tem ótimas opções de restaurantes e lojinhas (Foto: RoadTrio)

Muitos restaurantes oferecem o menu executivo, mesmo no horário do jantar. Os preços e pratos são bem convidativos. Nós jantamos uma noite no Manjericão e adoramos o lugar. O clima é bem praiano, com uma parte ao ar livre e outra coberta. Além do cardápio, com pratos que servem duas pessoas, eles oferecem o menu executivo durante toda noite. Provamos o parmegiana e o camarão na moranga, cada um por R$ 29,00, ambos muito bons.

Outra opção recomendada ali na Vila é o Cheiro Verde, que tem a mesma pegada que o Manjericão em relação aos pratos e valores. Já a estrutura do restaurante é menor e mais fechada.

Ali por perto tem também um açaí muito famoso, principalmente por conta dos valores. Na rua Dr. Carvalho, em frente ao mar, você encontrará um pote de 200 ml por R$ 5,00. Os acompanhamentos custam R$ 2,00 cada. Passamos por lá todos os dias que estávamos na ilha.

Mais próximo à balsa existe uma outra concentração de bons restaurantes. Há opções de restaurantes mais rápidos, que servem comida árabe, mexicana, italiana, entre outras. Os preços também são bacanas. Av. Princesa Isabel, 809.

| O que fazer

Bom, engana-se quem pensa que apenas de praia a Ilhabela é feita. Claro que elas fazem parte do roteiro de qualquer viajante, mas com 42 praias no total, haja tempo para explorar tudo. Por isso, pense também em explorar um pouco mais da vida selvagem, as trilhas e as opções de mergulho.

Praias

Na praia do Portinho você poderá ver tartarugas (Foto: RoadTrio)

Na praia do Portinho você poderá ver tartarugas (Foto: RoadTrio)

Existem dois tipos de praia na ilha: as mais cheias e badaladas e aquelas mais selvagens e tranquilas. As que são voltadas para o continente são acessíveis por carro comum. Já as voltadas para o Atlântico são acessíveis apenas por barco ou veículos 4×4. Entre as mais procuradas pelos turistas estão a do Bonete e a dos Castelhanos.

A primeira é uma vila caiçara afastada do centro e para chegar lá é preciso fazer uma trilha com um pouco mais de 10 km. Ela começa na Ponta da Sepituba e passa por algumas cachoeiras, mirantes, tudo isso em meio a Mata Atlântica. Muitos viajantes aproveitam a distância para acampar por lá. E o mais legal é que a partir de um determinado horário, todas as luzes são apagadas e os visitantes ficam sob a luz da lua. Apenas. Outra forma de chegar até lá é de barco, trajeto oferecido por algumas empresas do centro.

Entrada da praia dos Castelhanos (Foto: RoadTrio)

Entrada da praia dos Castelhanos (Foto: RoadTrio)

Já a Praia dos Castelhanos, fica localizada no Parque Estadual de Ilhabela e para chegar lá é preciso estar em um barco, carro 4×4, jipe ou moto. O lugar possui acesso controlado e limitado por dia, tanto para carros 4×4, como para jipes e motos. Apesar de passeio de barco ser uma delícia, sugerimos que faça de jipe. A dificuldade da trilha dá um toque mais selvagem à aventura.

O passeio de jipe normalmente é oferecido por algumas empresas do centro da ilha, mas optamos em fazer com o próprio Hostel da Vila, onde ficamos hospedados. Devido à grande procura, eles têm parceria com a Jipe Aventura e oferecem esse serviço para os hóspedes. Por eles, o passeio sai R$ 80,00 por pessoa, parte às 10h da manhã e retorna às 18h.

Praia dos Castelhanos vista do mirante (Foto: RoadTrio)

Praia dos Castelhanos vista do mirante (Foto: RoadTrio)

Logo ao no Parque Estadual você pode descer e caminhar até a primeira trilha, o Poço da Pedra. Lá tem uma cachoeira pequena e uma piscina natural. Seguindo viagem, você levará cerca de 1h30 trepidando entre os buracos da via.

Mas ao chegar na praia, tudo compensa. É uma praia selvagem com águas calmas nas suas extremidades e mar agitado na parte central. Por isso, se quiser nadar, entre apenas perto das pedras. A parte central é frequentada mais por surfistas.

Como o passeio dura o dia todo, tem muitos quiosques por lá que oferecem um cardápio completo de porções e pratos para almoço. Aconselhamos levar dinheiro em espécie, pois não existe sinal de máquina de cartão (e nem de celular). A nossa dica é caminhar de ponta a ponta. Do lado direito, você poderá subir até um mirante e ver a praia de cima, onde se tem aquela famosa vista da praia formando um coração. A trilha começa perto das pedras e é bem íngreme, mas tranquila de se fazer.

Do outro lado tem a Cachoeira do Gato, uma queda d’água com 40 metros de altura. A trilha que leva até a cachoeira tem quatro quilômetros e dura aproximadamente uma hora e 30 minutos para ser percorrido. Como o caminho corta a floresta, é preciso ir com tênis para evitar acidentes e bichos.

Muitas praias na Ilhabela têm águas cristalinas (Foto: RoadTrio)

Muitas praias na Ilhabela têm águas cristalinas (Foto: RoadTrio)

Essas são só as duas principais praias, mas ainda tem muito mais para curtir. Gostamos bastante das praias localizadas na região sul. A Praia do Portinho, por exemplo, não é muito frequentada por turistas. É pequena e não fica muito cheia. A água é cristalina e é muito comum ver tartarugas nadando por lá. Em um mergulho rápido vimos três, uma muito grande e outras menores nadando junto.

Logo ali perto tem a estão também a Praia do Julião, da Feiticeira – uma das mais famosas, porém mais perigosa por ser de tombo –, das Cabras – ideal para mergulho – e do Curral – a mais procurada e cheia. Algumas delas, como a essa última, têm opção de aluguel de caiaque e stand up paddle.

Mergulho

A costa da Ilhabela é marcada por muitos naufrágios que ocorreram há anos e, por isso, é uma das melhores áreas para mergulho no Brasil. Por lá, é possível ver tartarugas, raias, polvos, corais, muitos peixes e até baleia (essa última é mais difícil, mas você pode dar sorte).

A visibilidade pode ultrapassar 20 metros e tem points com até 52 metros de profundidade. A melhor parte é que a Ilhabela oferece mergulhos tanto para iniciantes quanto para mergulhadores técnicos. O Hostel da Vila foi fundado pelo instrutor de mergulho, Felipe, com o intuito de incentivar ainda mais essa prática na região. Por isso, o próprio hostel oferece opções de mergulho.

Ilhabela é considerada a capital nacional da vela (Foto: RoadTrio)

Ilhabela é considerada a capital nacional da vela (Foto: RoadTrio)

Tem o batismo, que é o mergulho para iniciantes acompanhado de um instrutor durante 40 minutos. Normalmente é feito na Ilha das Cabras e sai por R$ 300 por pessoa ou R$ 500 para duas pessoas. Já para quem é credenciado, pode fazer mergulho em diferentes locais por R$ 350 com direito a dois cilindros, que totaliza aproximadamente 1h30 de mergulho. Para aqueles que querem fazer o credenciamento, o curso com as aulas teóricas, prova, aulas na piscina, 4 mergulhos e a certificação sai por R$ 1.390. Tudo isso pode ser feito em um fim de semana.

Cachoeiras

A ilha é cheia de cachoeiras, mas algumas merecem uma atenção especial. A mais procurada pelos turistas é a Cachoeira do Gato, já citada, que fica na Praia dos Castelhanos. Tem também a Cachoeira dos Três Tombos, próximo à Praia da Feiticeira, e a Cachoeira da Toca, boa para banho. Já a Cachoeira da Laje é uma ótima opção, mas exige mais atenção e esforço, pois a trilha tem cerca de 1 hora após a Ponta de Sepituba, no sul da ilha. Uma dica que nos deram por lá é a Cachoeira Paquetá, em que você pode subir em um patamar e escorregar pela pedra e cair em uma piscina natural com linda vista da ilha.

Andar de carro pela ilha e suas praias pode ser um bom programa (Foto: RoadTrio)

Andar de carro pela ilha e suas praias pode ser um bom programa (Foto: RoadTrio)

Eventos

A ilha tem ótima condições de vento, por isso, é muito procurada por velejadores e pessoas querendo fazer kitesurf. Aliás, ela é conhecida como a Capital Nacional da Vela, e recebe diversas competições ao longo do ano. Em julho, a ilha fica cheia devido a Semana de Vela de Ilhabela, reconhecida como a mais importante da América Latina.

Serviço

Site oficial: www.ilhabela.com.br ou ilhabela.sp.gov.br

Hospedagem: www.hosteldavilailhabela.com.br

Dica especial: a ilha possui muitos borrachudos, muitos mesmo, e o recomendado é levar o repelente em creme.

Sobre o autor

Em 2011, a jornalista morou na Europa, onde foi travel-writer para o Guia Criativo para O Viajante Independente na Europa. De volta ao Brasil, não quer se limitar às paredes de um escritório e fez do seu hobby uma nova profissão.

2 Respostas

  1. Luiz Paiva

    Magnifico o roteiro, já conheço Ilhabela mas agora me deu vontade de voltar.

    Responder

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.