Um dos cartões postais de Auckland, na Nova Zelândia, a SkyTower reserva uma infinidade de atrações. E esse foi o primeiro ponto turístico que visitamos durante nossa roadtrip pela Nova Zelândia.

Localizada no coração da cidade, ela é a torre mais alta do país, alcançando 328 metros e vista panorâmica 360 graus, que pode alcançar até 80 km de distância com vista para o mar, montanha, cidade e vulcões.


LEIA TAMBÉM
Ilha norte da NZ: de Auckland até Wellington
Ilha Sul da NZ: de Picton até Milford Sound
7 motivos para alugar um carro na Nova Zelândia
Tudo que você precisa saber sobre a Nova Zelândia


Em dias de céu aberto, é possível observar a Rangitoto Island, uma ilha que na verdade é considerada o maior vulcão da região de Auckland, com quase a mesma altura da torre. Também é possível ver boa parte do litoral, incluindo a Waitemata e Manukau Harbours, as inúmeras ilhas do Hauraki Gulf, a Península de Comomandel, Great Barrier Island e o Waitakare Ranges.

SkyTower fica no centro de Auckland, na Nova Zelândia (Foto: RoadTrio)

SkyTower fica no centro de Auckland, na Nova Zelândia (Foto: RoadTrio)

A SkyTower é a maior estrutura construída pelo homem em todo país e, acredite ou não, foi projetada para suportar terremoto de até 8 graus. Ela demorou 33 meses para ficar pronta e seu peso equivale a 6 mil elefantes.

Ela tem 12 metros de diâmetro feitos com 15 mil metros cúbicos de concreto, 2 mil toneladas de aço reforçado, 600 toneladas de aço estrutural incluindo 170 toneladas no mastro.

Os elevadores internos têm chão de vidro e levam os turistas para o observatório da torre, a 186 metros, a uma velocidade de 18 km/h, ou seja, a subida leva 40 segundos.

A SkyTower tem vista panorâmica 360º de Auckland (Foto: RoadTrio)

A SkyTower tem vista panorâmica 360º de Auckland (Foto: RoadTrio)

Ela foi inaugurada e aberta ao público no dia 3 de agosto de 1997. A torre é considerada peça fundamental nas telecomunicações da Nova Zelândia, já que ela é responsável por conectar, receber, transmitir e retransmitir o sinal de 23 estações de rádio e celular.

A Sky Tower fica num complexo chamado de SkyCity, que reúne casino, hotel, restaurantes, bares e, claro, a torre. Ela pode ser vista de vários outros pontos da cidade e, por isso, é destaque no skyline de Auckland.

Entrada do cassino (Foto: RoadTrio)

Entrada do cassino (Foto: RoadTrio)

| Níveis da SkyTower

A torre é dividida em 6 níveis:

Área subterrânea, com uma loja de souvenires e um cinema que conta a história da construção da torre. É nesse local que você também pode agendar as atrações SkyWalk e SkyJump. Para conhecer essa área não é necessário pagar.

Sky Lounge Café & Bar, a 182 metros, que oferece algumas delícias como drinques, snacks e sorvetes enquanto os visitantes apreciam a bela vista. O serviço todo é feito em parceria com o Kapiti. Para você ter uma noção de preços, um café custa NZ$ 4, um croissant recheado com queijo e presunto custa NZ$ 11 e os sorvetes custam a partir de NZ$ 5.

Main Observatory Deck, a 186 metros, essa é a primeira parada para quem quer ver a cidade do alto e o caminho que te leva ao elevador para o nível mais alto da torre. É necessário parar aqui para conseguir subir os andares que restam. Ficamos cerca de uma hora nas alturas observando todos os ângulos da cidade. Por lá também tem um chão de vidro de 38 mm (tão forte quanto o concreto) onde é possível caminhar “nas nuvens”. Alguns turistas não se arriscam a caminhar por lá. O observatório comporta até 225 pessoas de uma vez.

Vista de Auckland, do topo da SkyTower (Foto: RoadTrio)

Vista de Auckland, do topo da SkyTower (Foto: RoadTrio)

Restaurante giratório, a 190 metros, mais conhecido como Orbit – único restaurante giratório da Nova Zelândia. Não é necessário pagar nenhuma taxa extra para almoçar no local, apenas os pratos escolhidos. O menu do brunch varia entre NZ$ 19 e NZ$ 26 e o menu do almoço e do jantar oferecem pratos principais que variam entre NZ$ 32 e NZ$48. O restaurante dá uma volta completa a cada 60 minutos.

SkyWalk (que vamos falar em breve), a 194 metros.

Observatório, a 220 metros, também conhecido como Top Observation Deck. Essa foi nossa última parada. Demos sorte, pois o local não estava cheio e pudemos curtir o visual em um dos banquinhos disponíveis por lá.

Nós fomos pela manhã, logo que abriu, mas recomendamos fortemente que você visite a SkyTower no entardecer a admire do alto o pôr do sol na cidade, além da vista noturna.

Vista de Auckland, do topo da SkyTower (Foto: RoadTrio)

Vista de Auckland, do topo da SkyTower (Foto: RoadTrio)

| SkyWalk e SkyJump

A Nova Zelândia é conhecida mundialmente como a capital dos esportes radicais. Por isso, os aventureiros podem começar a sentir frio na barriga nessa atração.

O SkyWalk é para quem quer fazer uma caminhada em uma plataforma construída do lado de fora da torre, a 194 metros de altura. Os visitantes ficam presos em cabos de aço e apreciam a vista com vento batendo na cara, literalmente.

Visitante no SkyWalk (Foto: Divulgação)

Visitante no SkyWalk (Foto: Divulgação)

Os mais corajosos ainda podem saltar dessa plataforma, no SkyJump, numa velocidade de 86 km/h em 11 segundos. Diferentemente do Bungy Jump, no SkyJump você não é preso por uma corda na perna e sim nas costas. Depois do salto e da primeira queda, você é levemente freado para aterrizar.

Quem compra o ticket para o SkyTower ou SkyWalk não precisa comprar o ingresso de entrada para a SkyTower. Depois do pulo ou da caminhada, os turistas têm direito de subir até os observatórios.

Essas duas atrações funcionam das 10h às 17h15, mas se as condições climáticas não forem favoráveis, o passeio pode ser cancelado e remarcado. A empresa é responsável por sinalizar as condições aos turistas.

É recomendável que você faça a reserva antes da visita – principalmente na alta temporada (verão), mas também que fique de olho na previsão do tempo para conseguir se programar melhor.

Bom, se a grana estiver curta e você ainda for passar por Queenstown, vale mais a pena deixar esse passeio de lado e guardar o dinheiro para um salto de Bungee Jump e ter uma experiência inesquecível.  Lembre-se que o esporte foi criado na Nova Zelândia e, por isso, o país reúne os melhores bungees do mundo.

Valores
SkyJump: Adulto (NZ$ 225), estudantes (NZ$ 195), crianças de 10 a 15 anos (NZ$ 175), família com dois adultos e duas crianças ou estudantes (NZ$ 625).

SkyWalk: Adulto (NZ$ 150), estudantes (NZ$ 130), crianças de 10 a 15 anos (NZ$ 120), família com dois adultos e duas crianças ou estudantes (NZ$ 420).

| Preço

*Os valores abaixo dão direito aos observatórios e não incluem nenhuma outra atração da torre.
SkyTower: Adulto (NZ$ 29), crianças de 6 a 14 anos (NZ$ 12), crianças abaixo de 5 anos (grátis), estudantes (NZ$ 20), idosos residentes (NZ$ 23), família com 2 adultos e 2 crianças (NZ$ 65).

Vista do skyline de Auckland, com a SkyTower ao fundo (Foto: RoadTrio)

Vista do skyline de Auckland, com a SkyTower ao fundo (Foto: RoadTrio)

Serviço

SkyTower
Endereço: 86 Federal St, Auckland, 1141, Nova Zelândia
Site: www.skycityauckland.co.nz/attractions/sky-tower/
Horário de visitação: todos os dias da semana, das 8h30 até às 22h30 ficando aberto 1 hora extra às sextas-feiras e sábados entre outubro e abril. Entre maio e setembro, a torre abre uma hora mais tarde e fecha uma hora mais cedo. Os últimos ingressos do dia são vendidos 30 minutos antes do fechamento da atração.
Estacionamento: no local. Primeira hora NZ$ 15, hora adicional NZ$5,50

***  Em roadtrips longas como esta, é indispensável alugar um carro com seguro completo e analisar as condições de retirada em um ponto e devolução em outro. Faça um orçamento completo com a Hitch Rental Cars.

Além disso, para maior segurança e tranquilidade, faça sempre um seguro viagem. Nós fizemos um com a Chancetour Viagens, que tem um preço bem acessível e ampla cobertura! A tranquilidade de saber que você está seguro em todos os aspectos faz com que você curta muito mais sua viagem. Peça seu orçamento aqui!

Sobre o autor

Formada em jornalismo, já passou algumas temporadas na Califórnia e em Barcelona. Os anos de cobertura de Semanas de Moda internacionais passaram e fizeram com que ela descobrisse que o seu verdadeiro estilo é viajar.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.