Barbados provavelmente não está na lista de ‘lugares que preciso ir antes de morrer’ da maioria dos brasileiros. O pequeno país de pouco menos que 280 mil habitantes, a maioria de ascendência africana, é pouco divulgado por aqui e acaba ficando fora da rota dos viajantes. Mas esse pequeno paraíso foi para o RoadTrio um ‘achado’ no meio do Caribe.

Viajamos em agosto de 2016 para lá, a convite da Visit Barbados, e fomos surpreendidos positivamente. Não sabíamos muito sobre o local, mas conseguimos montar um roteiro enxuto, variado e perfeito para uma semana. Sim, apesar de ser um país muito pequeno – o 13º menor do mundo – há muito o que fazer além das típicas praias de mar azul do Caribe.

img_1540

Vista da praia de Sandy Lane, que abriga um resort all inclusive (Foto: RoadTrio)

Aos que não sabem, Barbados é a terra natal de ninguém mais, ninguém menos que Rihanna, que em 2009 foi nomeada como Embaixadora Honorário da Juventude e da Cultura de Barbados. A cantora mantém uma casa de verão na região e é constantemente fotografada por lá. Rihanna e todos que nascem por lá são chamados oficialmente de barbadianos, mas carinhosamente de ‘Bajan’.

Barbados fica nas Pequenas Antilhas, na América Central, e é o país mais oriental do Caribe, sendo a ilha mais desenvolvida da região. Para entender no mapa, ele fica na diagonal da Venezuela e as ilhas mais próxima são Trinidad e Tobago, a 400 quilômetros a sudoeste, e São Vicente e Granadinas, a 168 quilômetros a oeste.

O país é bem pequenininho, mais ou menos do tamanho da cidade de Curitiba – com um carro, você roda por todo ele em um dia –, tendo apenas 34 km de comprimento e 23 km de largura, cobrindo uma área de 432 km². Barbados está fora da principal área de Cinturão de furacões.

O país é seguro. Ninguém reclama de falta de segurança… Pelo contrário! Os moradores que conversamos por lá elogiaram o país nesse quesito e nos tranquilizaram enquanto turistas.

Além disso, em 2011, Barbados ficou em segundo lugar na América (superada apenas por Canadá) no nível de Transparência Internacional do Índice de Percepção de Corrupção.

Praia do Sea Breeze, resort all inclusive de Barbados (Foto: RoadTrio)

História

Barbados foi inicialmente habitada pelos Índios Aruaques que migraram da Venezuela de 350 a 400 a.C. Atualmente o país é governado pela Inglaterra, mas foi descoberto por navegadores espanhóis no final do século 15, sendo identificado pela primeira vez no mapa espanhol em 1511.

Mas foi em 1627 que os primeiros colonos permanentes chegaram da Inglaterra, tornando Barbados uma colônia britânica.

Os primeiros colonizadores de Barbados cultivaram tabaco e algodão e utilizaram a mão de obra de criados aprendizes. Em 1630, os primeiros colonizadores mudaram para a produção de açúcar e essa diversificação foi demonstrada como economicamente lucrativa (hoje a produção de rum também é um dos setores que mais move a economia local).

Para atender às demandas crescentes de mão de obra da produção de açúcar, escravos foram trazidos da África, o que resultou em uma população 90% negra.

Em 1966, Barbados tornou-se um estado independente e Reino da Comunidade de Nações, mantendo a rainha Elizabeth II como chefe de Estado.

Com isso, já dá para saber que, além do idioma, a mão para dirigir é inglesa (não nos arriscamos pegar carro por lá), mas não é necessário habilitação internacional.

Clima e fuso horário

O clima de Barbados é tropical, com uma estação das chuvas de junho a outubro. Fomos em agosto e pegamos raros momentos de chuva, sendo a maioria na madrugada. Nessa época do ano o mar é muito quentinho. Já a época mais seca, que vai de dezembro a maio, além da temperatura, os preços também são mais altos.

Fim de tarde em St. Laureence Gap, um dos melhores lugares do país (Foto: RoadTrio)

Barbados é conhecido por ter mais de 3 mil horas de sol por ano e tem temperatura média diária é de 28 graus, que raramente varia para mais de 5 graus durante dia ou 10 graus à noite.

O país está no fuso horário do Atlântico e segue o Horário Padrão de Greenwich menos quatro horas. Quando o Brasil não está em horário de verão, Barbados fica a uma hora a menos. O país não tem horário de verão.

Geografia

Barbados é tão pequeno, que não é dividido por cidades, mas sim por distritos: Saint Michael, Saint Peter, Christ Church, Saint Joseph, Saint James, Saint Philip, Saint Lucy, Saint Andrew, Saint Joseph e Hillaby. Sim, como você deve ter percebido, é um país muito cristão.

Cada um desses distritos de Barbados é conhecido por ‘Parish’, como se fossem pequenas cidades: Bridgetown (capital do país), Speightstown, Oistins, Bathsheba, Holetown, The Crane, Crab Hill, Greenland, Blackmans e Hillaby.

Apesar de lindas e paradisíacas cada região tem sua característica particular. Ao norte da capital Bridgetown, a chamada West Coast tem mansões e hotéis de luxo, com praias escondidas.

Vale lembrar que nenhuma das 60 praias de Barbados é privada. Todos – locais e turistas – podem visitar qualquer uma a hora que quiser. Abaixo da capital, em South Coast, as praias têm um fácil acesso, os hotéis tem preços mais baixos e há um centrinho de agitação – Rockley Beach e St. Lawrence Gap – com muitos restaurantes, bares e casas noturnas. Já East Coast é a preferida dos surfistas, já que o mar tem ondas maiores.

Praia próxima ao Hotel Hilton, de onde sai o barco para visitantes que vão mergulhar (Foto: RoadTrio)

Bathsheba é a mais famosa. Apesar de todo o clima caribenho, Barbados faz fronteira com o Mar do Caribe e o Oceano Atlântico. A diferença é clara aos olhos, já que a cor do mar muda em cada lado da ilha. No lado do Atlântico, inclusive, o mar fica com muita alga, responsável por deixar a água mais escura.

Visto e moeda

Barbados não exige visto, apenas passaporte válido e vacina contra Febre Amarela, com Certificado Internacional expedido pela Anvisa. Essa vacina só começa a ter efeito após 10 dias da aplicação então, por isso, é preciso tomar com antecedência. Assim que você passar pela imigração de Barbados, este documento será tão importante quanto o seu passaporte, pode acreditar.

Nota do dinheiro barbadiano (Foto: RoadTrio)

A moeda do país é o dólar barbadiano (BDS$), mas dólar americano é aceito na ilha toda. A conta é simples: 2 dólares barbadianos = 1 dólar americano. A maior parte das lojas e restaurantes aceita cartões de crédito e travelers check.

Água e eletricidade

O órgão governamental que cuida do saneamento em Barbados distribui água potável para todo o país. Por isso, tomar a água de Barbados é seguro e refrescante – acredite, não dá para andar mais de 1 km sem dar umas boas goladas na sua garrafinha.

Bons drinks e água para se refrescar na sensação térmica de quase 40 graus (Foto: RoadTrio)

As tomadas em Barbados são do tipo padrão americano (duas barras paralelas e achatadas) ou de aterramento (duas barras paralelas e achatadas com uma terceira cilíndrica). Não esqueça de levar um adaptador. Caso não tenha um, não se preocupe, é fácil comprar nas lojinhas de rua.

Como chegar

Vista do alto de Barbados e do mar do caribe (Foto: RoadTrio)

Nós fizemos o último voo direto para Barbados da Gol, em agosto. Agora é possível ir com a Avianca (voo às quartas e aos sábados de São Paulo (GRU) e Rio de Janeiro (GIG) para Bridgetown (BGI), com conexão em Bogotá (Colômbia) ou com a American Airlines (voos de Miami para Bridgetown, portanto uma das opções para os brasileiros é ir até Miami e de lá fazer conexão para Barbados). Além disso, há muitos cruzeiros que começam ou terminam em Barbados.

Coisas típicas e curiosidades

Apesar de Barbados ser a terra da Rihanna, os ‘bajans’ tem pouco remelexo. Por incrível que pareça, o país tem como uma das músicas tradicionais a Soca e, se você escutar, provavelmente vai querer dançar. Acontece que é ‘costume’ deles formarem algumas rodas nos lugares onde a música toca e simplesmente olhar um para a cara do outro. O mais curioso é que eles sempre estão ouvindo música, seja no restaurante ou no transporte público. Dá o play aqui abaixo para escutar. Pode sair dançando, mas volta para terminar de ler este post!

De qualquer forma, nas mãos de um de um turista sempre terá o famoso e tradicional rum punch! Como o próprio nome diz, tem como base o rum – uma bebida tradicionalmente associada aos piratas caribenhos das lendas e verdades históricas – , combinado com com suco de laranja, suco de abacaxi, maraschino e grenadine.

Rum Punch é a bebida mais famosa do país (Foto: RoadTrio)

Duas coisas que reparamos muito enquanto andávamos para lá e para cá em Barbados é que o cristianismo prevalece – não é à toa que as regiões levam nomes de santos – e tem muita igreja espalhada pelos pequenos distritos. O mais curioso é que a maioria delas abriga ao lado um pequeno cemitério. Os moradores de cada região geralmente é enterrado no cemitério da igreja que frequentava.

Além disso, também reparamos que todos os pontos de ônibus levam nomes femininos.

Transporte

Apesar de ser um país pequeno, é preciso se locomover de transporte de um lugar para o outro em Barbados. São três os principais meios de transporte por lá se você não estiver de carro: táxi, táxi van (no Brasil conhecido como lotação) e ônibus. Recomendo os dois últimos.

Transporte público de Barbados custa 2 dólares barbadianos (Foto: RoadTrio)

No começo ficamos com um pé atrás de pegar as centenas de vans lotadas que cortam a cidade. Mas realmente é o meio que te leva para qualquer lugar. Elas custam 2 dólares barbadianos, mas, apesar do valor, você tem que estar preparado para dividir o pequeno espaço com mais gente do que realmente cabe. Mas não se preocupe: todos se respeitam.

Os ônibus de Barbados, apesar de antigos, são mais confortáveis e geralmente estão mais vazios. Eles custam o mesmo preço das vans, mas tem bem menos circulando pelo país. As linhas não são tão complicadas, basta saber o ponto final do seu destino.

Hospedagem

Vista da piscina do Rostrevor Hotel (Foto: RoadTrio)

Rostrevor Hotel: o hotel fica em St Laurence Gap, um dos balneários de Barbados com a maioria dos quartos com vista para o mar. O hotel possui uma piscina em frente à praia e tem uma praia particular que fica quase sempre vazia. O quarto é amplo, espaçoso e com boa limpeza. O preço da diária varia de acordo com a época, mas é possível encontrar quartos a partir de USD 139 para duas pessoas.

Vista da janela do nosso quarto no Yellow Bird Hotel (Foto: RoadTrio)

Yellow Bird Hotel: um pouco menor, também está localizado em St. Laurence Gap. Apesar de não ter uma praia particular, ele fica bem em frente à prainha de pescadores da região, com um visual incrível. A piscina permite que os hóspedes apreciem a vista enquanto tomam bons drinks na ótima recepção do bar do local. Há opção de quarto de frente para o mar ou não. Os preços também variam, mas é possível encontrar quartos a partir de USD 199 para duas pessoas.

img_1693

Piscina do All Seasons Resort(Foto: RoadTrio)

All Seasons Resort: a experiência neste hotel é totalmente diferente das anteriores. O All Seasons Europa fica afastado da praia é muito mais simples, mas os hóspedes ficam em pequenas casas completas que rodeiam uma piscina bem atrativa. Há muitos gatos espalhados por lá que geralmente ‘visitam’ os hóspedes. O atendimento é impecável. Algumas diárias partem de USD 92 para duas pessoas.

Praia ‘particular’ do Sea Breeze Beach Hotel (Foto: RoadTrio)

Sea Breeze Beach Hotel: perfeito para quem quer esbanjar sem se preocupar em gastar além do que já pagou. O Sea Breeze é um hotel all inclusive para não por defeito. O hóspede tem desde um quarto 100% aconchegante e completo até refeições muito bem servidas, esportes aquáticos, bebidas e toda a estrutura necessária para quem quer curtir o Caribe 24 horas sem preocupação. As diárias custam a partir de USD 319 para duas pessoas.

O que fazer

Fim de tarde na Worthing Beach, praticamente vazia (Foto: RoadTrio)

Praias: Barbados tem nada mais, nada menos que 60 praias para locais para os turistas aproveitarem. No centro de Barbados, em Bridgetown, as mais famosas são Acra Beach, Miami Beach, Carlisle Bay Drill Hall Beach. Na Costa Oeste, todas elas são paradisíacas, mas as mais conhecidas são Sandy Beach, Paradise Beach, Tropicana Beach, Colony Club Beach. Este ponto é conhecido como “Platinum Coast” porque reúne alguns dos hotéis mais luxuosos da ilha. Na costa leste fica a Crane Beach que, apesar de estar ‘dentro’ do hotel The Crane, é acessível para todos.

Opções não faltam, mas confessamos que nossas favoritas foram aquelas que ficavam eme frente aos hotéis que nos hospedamos, com destaque para a do Sea Breeze Hotel. Mas em St. Laurence Gap também tem a deliciosa Worthing Beach, de fácil acesso e ‘não pertencente’ a nenhum hotel. O mesmo acontece com a Dover Beach e a Maxwell Beach. Vale a visita!

Selfie com a tartaruga, por que não? (Foto: RoadTrio)

Passeio de catamarã e mergulho com tartarugas: sem dúvidas, um dos melhores passeios para se fazer por lá. Fomos com a Calabaza Sail e tivemos um dia perfeito. O passeio começa cedo e navega pelo azul do Caribe com paradas estratégicas.

Em uma delas, as tartarugas são a maior atração. Elas chegam pertinho e interagem com a gente! Outra parada deliciosa é em Sandy Lane, uma praia paradisíaca que também abriga um hotel luxuoso. Lá perto também é possível ver com snorkel – oferecido pela Calabaza – três navios naufragados.

Uma das paradas do nosso passeio de catamarã (Foto: RoadTrio)

Vale destacar que o catamarã oferece café da manhã e almoço (deliciosos, cá entre nós) além de ser open bar. As opções de drinks são variadas, mas é difícil fugir do famoso, delicioso e refrescante rum punch.

Mergulho ao lado de um dos barcos naufragados da região (Foto: RoadTrio)

Mergulho: sabe aqueles barcos que vimos da superfície com snorkel? Chegou a hora de ver de pertinho mergulhando com cilindro. Mergulhamos com a Dive Barbados Blue e dedicamos um dia todo a ele. Primeiro fizemos um treinamento na bela piscina do Hotel Hilton em frente a Drill Hill Beach, onde a empresa fica instalada.

Também aproveitamos a manhã na praia deliciosa ao lado do Needham’s Point e, à tarde, partimos para o mergulho. Aqueles que preferem não mergulhar também têm a opção de ver mais tartarugas com snorkel.

O passeio é realmente incrível. Descemos aproximadamente 20 metros e vimos de pertinho 3 dos 6 naufrágios da região. Além disso, claro, uma infinidade de peixes e corais de todas as cores que você pode imaginar.

Visitantes já acomodados no submarino (Foto: RoadTrio)

Passeio de submarino: podemos dizer que este é o passeio ideal para famílias, principalmente aquelas que não querem mergulhar. O submarino desce aproximadamente 45 metros e fica de 40 a 45 minutos no fundo d’água. Vale mais pela experiência de estar em um submarino em si do que para ver a variedade de peixes e a vida marinha. Não demos sorte, então não vimos muita coisa. Mas assim é a natureza: dá o show quando ela quer!

A única empresa que oferece este passeio é a Atlantis Submarine.

Um dos visuais maravilhosos de dentro da caverna (Foto: RoadTrio)

Harrison’s Cave: afastada de qualquer praia, o passeio pela Harrison’s Cave foi uma surpresa positiva. Descoberta no início do século 18 por um dos senhores dono de um pedaço de terra na região, à caverna foi dada o nome de Harrison’s Cave em homenagem a ele, Thomas Harrison. Por ser tão enorme e labiríntica, ela só foi efetivamente mapeada em 1970 e aberta ao público em 1981. Ela é a única da região composta basicamente de coral ao invés de ser de origem vulcânica, ou do movimento das placas tectônicas.

É possível fazer dois passeios diferentes: o Eco-Adventure Tour, um passeio que dura 4 horas e requer coragem para engatinhar, passar por pequenas aberturas e pelos rios que cortam a caverna, e o passeio de trem. Nessa última opção, é possível ver toda a caverna de forma confortável. As estalactites e estalagmites são realmente impressionantes. A gruta, que tem salões que chegam a 15 metros de profundidade, também tem alguns lagos naturais

Entre os esportes aquáticos nesse mar azul/verde: caiaque (Foto: RoadTrio)

Atividades aquáticas: você pode praticar por lá snorkel, stand up paddle (SUP), caiaque, mini-catamarã e até surf. Na maioria das vezes é necessário alugar os equipamentos no hotel em que você está hospedado. Fizemos SUP duas vezes. Uma enquanto esperávamos para mergulhar e outra quando passamos o dia no Sea Breeze Resort.

O visual do St. Nicholas Abbey parece ter saído de um filme (Foto: RoadTrio)

Visita à produção de rum: nem só de mar azul vive Barbados! O país também é um grande produtor de rum e não é por acaso que a bebida mais famosa por lá é o Rum Punch. Por isso, recomendamos muito a visita ao St. Nicholas Abbey, uma propriedade rural preservada que abriga uma destilaria. No passeio, além de conhecer o museu, é possível ver a produção da bebida e, claro, experimentá-la!

Oistins: é uma feirinha gastronômica de pescadores que bomba na sexta-feira. É legal passear por lá, ver uma multidão escutando músicas típicas (lembre-se que eles não dançam), fazendo raras apresentações no palco local e, claro, se deliciar em um dos vários quiosques e pequenos restaurantes que preparam pratos barbadianos, com destaque para o fish fry. Dividimos um prato por duas pessoas. É muito bem servido.

Onde Comer

Recebemos convites de alguns restaurantes da região e recomendamos os melhores abaixo. Pode ir que com certeza você não vai se arrepender. A maioria dos restaurantes não tem um menu caro.

Uma das delícias do Primo Restaurant (Foto: RoadTrio)

Primo Bar & Bistrô
Site: www.primobarandbistro.com
Telefone: (246) 573-7777
Email: dine@primobarbados.com
Endereço: St. Lawrence Gap, Christ church

Sunbury Plantation House
Site: www.barbadosgreathouse.com
Telefone: (246) 423-6270
Email: sunbury@caribsurf.com
Endereço: St. Philip, Barbados

Tapas Barbados
Site: www.tapasbarbados.com
Telefone: (246) 228-0704
Endereço: Hastings Main Road, Highway 7, Christ Church, Barbados

Café Luna
Site: www.cafelunabarbados.com
Telefone: (246) 428-6172
Email: cafelunabarbados@gmail.com
Endereço: Enterprise Beach rd, Christ Church, Barbados

Azul Restaurant
Site: www.sea-breeze.com
Telefone: (246) 428-9441
Email: reservations@oceanhotels.bb
Endereço: Sea Breeze Beach Hotel, Maxwell Coast Road, Christ Church, Barbados

Oistins Bay Garden
É uma feirinha na rua.
Endereço: Oistins, Barbados

The Orange Street Grocer
Site: www.theorangestreetgrocer.com
Telefone: (246) 419-0838
Email: info@theorangestreetgrocer.com
Endereço: Orange St, Speightstown, St. Peter, Barbados

* O RoadTrio viajou para Barbados a convite da VisitBarbados

Sobre o autor

Formada em jornalismo, já passou algumas temporadas na Califórnia e em Barcelona. Os anos de cobertura de Semanas de Moda internacionais passaram e fizeram com que ela descobrisse que o seu verdadeiro estilo é viajar.

2 Respostas

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.