Depois de voltarmos do Salar de Uyuni, na  Bolívia, tiramos uma das nossas últimas tardes em San Pedro de Atacama para conhecer um pouco mais da cidade e não embarcamos em nenhum tour. Com muita disposição, resolvemos alugar uma bike e explorar os arredores da região.

Diversas agências pela cidade têm bicicletas para alugar por $ 3.500 pesos chilenos durante 6 horas. Porém, muitas magrelas são velhas e mal cuidadas e vimos pessoas que ficaram na mão (ou melhor, à pé) durante o passeio. Com isso, avaliamos a qualidade das bikes e optamos em alugar na Apacheta, localizada na rua Gustavo Le Paige. Pagamos $ 4.000 com direito a um kit de manutenção caso acontecesse algo e ainda recebemos orientações sobre as melhores trilhas da região.

img_301

Uma parada na praça ao lado da Pukara de Quitor para descansar (Foto: RoadTrio)

Saímos do centro da cidade e fomos sentido Pukara de Quitor, uma fortaleza construída por civilizações pré-incaicas. Pode-se pagar $ 3.000 pesos para escalar a montanha e ter uma vista privilegiada da região. Nós optamos por não entrar e seguimos para a praça ao lado. Bonita, mas sem muito para se ver e fazer, a não ser por algumas esculturas encravadas no morro. Esse percurso dura 3 quilômetros desde San Pedro e o caminho é sempre plano. Tranquilo mesmo para aqueles que não são atletas.

img_333

O trajeto para chegar até a Garganta del Diablo conta com alguns rios e muita terra (Foto: RoadTrio)

De lá fomos para o local que era, de fato, nosso destino: Garganta del Diablo. Para chegar, é preciso um pouco mais de disposição, pois fica a 16 quilômetros de distância (ida e volta) da cidade. O trajeto, apesar de ser plano, não é nada tranquilo. Foi preciso atravessar 5 vezes um rio até chegar à entrada da Garganta del Diablo. A recomendação era que atravessássemos o rio com a bike na mão, para não molhar as engrenagens. Ok, não foi difícil, mas isso torna o passeio um pouco cansativo.

Apesar do esforço, é recompensador ao chegar ao local. Primeiro porque o percurso é uma espécie de vale entre montanhas de areia. Depois, a Garganta é, na verdade, cânions de mais de quinze metros de altura e pequenas cavernas, o que deixa o passeio ainda mais emocionante. A melhor parte é que não é possível entrar de carro, ou seja, só se vê aventureiros de bicicleta, isso se você cruzar com alguém.

img_319

A região é formada por espécie de canions (Foto: RoadTrio)

O percurso dentro da Garganta del Diablo é de pouco mais de 1 quilômetro. Se esforce e faça a trilha até o final. Apesar dos cenários serem um pouco parecidos, cada cantinho é inusitado. Aliás, em alguns momentos será necessário levar a bike na mão novamente, pois mal se tem espaço para passar entre as pedras.


MAIS SOBRE DESERTO DO ATACAMA
Desvendando o incrível Deserto do Atacama
Laguna Cejar e a engraçada sensação de não afundar
Uma mistura de cores e suspiros no Salar de Tara
+ Mais posts


Depois de muito pedalar e parar para tirar muitas fotos, voltamos para San Pedro. Esse passeio dura em média 2 ou 3 horas, dependendo do pique de cada um.

Confira mais algumas fotos

 

Informações

Valor: a partir de $3.500

Horário: aluguel por 6 horas

O que levar: tênis para entrar na água, óculos escuros e água.

Sobre o autor

Em 2011, a jornalista morou na Europa, onde foi travel-writer para o Guia Criativo para O Viajante Independente na Europa. De volta ao Brasil, não quer se limitar às paredes de um escritório e fez do seu hobby uma nova profissão.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.